sábado, 20 de agosto de 2011

" O livro "

  

Já em sua caminha Bianca abre o livro de histórias e fica olhando.
- Sabe ler? - perguntaram juntas vovó e mamãe.
Toda risonha balança a cabeça em negativa dando o livro para a vovó ler. Ao som dos contos de fada adormece como uma princesa.

Rene Santos

* * * * * * *

20ª Edição De-sa-fio
Mini-conto (tema livre) contendo no  máximo 250 caracteres
16ª Edição Gênero-Situação
Conter a frase: - Sabe ler? - perguntaram

sábado, 13 de agosto de 2011

" O ÕNIBUS ESCOLAR "


Fernandinho vai para escola estudar
Mesmo em dia de chuva não pode faltar
Para tirar boas notas e de ano passar.


Usa o guarda chuva para se abrigar
Enquanto fica no portão a esperar
O ônibus escolar que o vem buscar.


No ônibus seus amigos vai encontrar
E todos alegres começam a farrear
Tendo o motorista que mandar parar.


Logo na escola vão chegar
E em suas salas vão entrar
Para o professor a aula começar.


É assim todos os dias da semana
Até o final do período chegar
E umas pequenas férias tirar.


Chega agosto volta a estudar
Para quando no final do ano chegar
Tirar férias só se de ano passar.

RSantos

19ª Edição Desafio

sábado, 6 de agosto de 2011

" Carta ao meu querido e saudoso irmão"

Querido irmão,

Querido irmão

Tantos anos já se passaram e não teve um ano que não me lembrasse de você. Como gostaria de estar junto de ti e poder acalmar esta dor que arde dentro de mim.
Como esquecer cada pedacinho que compartilhamos juntos, nossa infância e os cuidados que tivemos com sua adolescência para que conseguisses superar os obstáculos que uma pequena arritmia o acometera. 

Como um milagre lá estavas a todo vapor curtindo a vida, seus amigos, e como adorava uma festa, e como paqueravas as garotas, e dançavas como ninguém e as músicas as sabias todas na ponta da língua. 
Eras o Gênio da turma e na hora de montar o som para a festa lá estavas sempre bem disposto. E, foi num desses dias, que o som não funcionou... Porque tinhas que partir tão cedo e de forma tão dolorosa que a todos nós abalou?
Saudades de sua voz, de seu sorriso, de seu encanto, de nossas brigas... Saudades de suas histórias, de sua arte que em uma tela inacabada deixaste a marca da sua sombra.
Saudades que percorre a minha alma e acompanha a minha vida.
Fecho os olhos e começo a sonhar - quantas recordações de alegrias e tristezas transbordam em meu pensamento, meu coração se enche de amor e parece que nada aconteceu e que você está aqui ao meu lado.
Mas doce ilusão que mais do que depressa me traz de volta a realidade, como num sopro, num vento que refresca meu rosto vejo que é tudo um simples sonho e que o nosso amor é como o vento não posso ver, mas posso sentir.
Meu saudoso irmão serás para sempre a lembrança eterna de vida que me ilumina e me acalma. 
Deixo aqui estas palavras que guardarão para sempre o eterno amor desta sua irmã.

RSantos

18a. Edição Remetente
t