sexta-feira, 16 de julho de 2010

"A dor por tão grande perda"


Chego aflito ao hospital para encontrar o meu amor em tão grande desespero que, ao me ver, corre para os meus  braços aos prantos não conseguindo uma palavra sequer falar. Totalmente descontrolada começa a gritar tamanha é sua angústia  o que me faz olhar bem firme para ela e dizer em voz alta: 
- Eu odeio te ver chorar, portanto, acabe com suas lágrimas e escute.  Foi melhor assim para todos e agora não tem mais nada a fazer do que se acalmar.
Seu irmão havia sofrido um grave acidente de moto e seu estado era gravíssimo, e os médicos já haviam avisado que as chances de sobreviver eram remotas. Caso sobrevivesse ficaria numa cama vegetando e essa situação traria sofrimento para todos. 
Seu irmão era um rapaz forte e sempre ativo e como gostava de aventuras, de esportes radicais. Viver correndo e com a adrenalina pulsando nas veias era um prazer que não dispensava.
Quis o destino que fosse vítima desse acidente monstruoso que acabou tirando sua vida ainda tão jovem.
Abraçado ao meu amor tão indefesa, tão triste sentindo a dor por tão grande perda não sabia muito o que fazer. Sabia sim que o meu carinho e sentimento por ela era muito grande e sofria muito de vê-la assim, mas não podia demonstrar. Dei um beijo carinhoso em sua testa, segurei no seu queixo puxando ela para que me olhasse bem nos olhos e então disse:
- Meu amor seque suas lágrimas e respire fundo, pois tens que ter forças para confortar os seus pais, os seus familiares. Eles vão precisar muito de você e tenha certeza que não estarás sozinha porque estarei aqui sempre ao seu lado.

Rene Santos

25a. Edição Musical - Nota 9,5
Projeto Bloínquês
Imagens retiradas da Net

Um comentário: