sexta-feira, 9 de julho de 2010

"O PREÇO DA TRAIÇÃO"



 Aquele homem que era um eterno apaixonado jamais poderia suspeitar que a mulher que tanto amava o faria sofrer tamanha desilusão. O tempo não pára, passa rápido e não se pode deixar escapar das mãos o que lhe é mais precioso. Como poderia imaginar que fosse traído de forma tão cruel, tão asquerosa, tão fria, tão sem sentimentos.

Durante tantos anos ela não sabia viver de outra forma a não ser como mulher infiel. Traições atrás de traições, não importava quem fosse caia de olhos fechados sem pudor algum, pois tinha prazer de trair ao homem que tanto amava e não escondia aos seus amantes esse prazer doentio. Jamais imaginou que esses momentos iriam terminar e que pagaria um preço muito alto por suas atitudes.

Havia planejado uma festa de fantasias com pessoas todas mascaradas e das mais variadas formas de vida. Foi uma noite cheia de atos extremos de prazer e desejos. Levava essa vida no anonimato e nunca admitiria ser pega agindo de forma tão vulgar.

Chegando a sua casa ao amanhecer levou um susto em encontrar aquele que tanto a amava e a envolvia em carinhos e tanto lhe protegia sabendo de tudo que fazia sem se importar, nos braços de outra pessoa. Descobriu que seu marido era gay e isso foi como disparar uma flecha contra si mesma.

Envolta em tantos pensamentos começou a se fazer diversos questionamentos, perguntas e respostas.
- Tinha que me poupar e evitar que a família toda descobrisse essa farsa.
- Qual a atitude mais certa a tomar?
- Ficar no anonimato. Claro, eu consigo fazer isso com toda a certeza.

Ficaram as recordações de momentos inesquecíveis, momentos proibidos de se lembrar e momentos que esperava que fossem vividos novamente.

Esperava agora viver o que era correto, o que era novo, desconhecido e diferente. E era isso que ela estava tentando fazer, mesmo que seus pensamentos quisessem levá-la ao passado... É um passado que deve ser esquecido. Ela não se renderia.

Rene Santos

23a. Edição Conto/História

Versão 2.0
(Imagens retiradas da NET)

Nenhum comentário:

Postar um comentário